Innocenti Advogados > Destaques > Notícias > Na mídia > Apesar da fila, quem quer se aposentar deve pedir já para não ter prejuízo

Destaques

"Apesar da fila, quem quer se aposentar deve pedir já para não ter prejuízo"

Publicado em - Nenhum comentário

A fila do INSS está grande. Atualmente, são cerca de 2 milhões de pedidos em espera, sendo 1,3 milhão atrasados, ou seja, a mais de 45 dias sem resposta. Mas a demora não significa que é melhor deixar para dar entrada no pedido depois. Especialistas aconselham que, se você já quer se aposentar, é melhor não esperar, ou pode perder dinheiro. O valor que o aposentado deve receber de aposentadoria começa a contar desde a data em que ele fez o pedido, explicam as advogadas Vivian De Camilis e Samanta Leite Diniz, especialistas em Direito do Trabalho da escritório Innocenti Advogados.

Mesmo que demore meses para sair a aposentadoria, quando ela for autorizada, o beneficiário recebe os valores atrasados. Ou seja, quanto mais esperar para pedir, mais dinheiro vai perder.

Precisa calcular se vale a pena para você

Independentemente da fila, é importante lembrar que a hora de dar entrada na aposentadoria é uma decisão pessoal. Dependendo do caso, esperar um pouco mais pode aumentar o valor a ser recebido, por exemplo. Após a reforma, o cálculo do valor da aposentadoria mudou. Quem estava mais perto de atingir os requisitos pode se encaixar em uma das regras de transição, que podem aumentar ou diminuir a aposentadoria mensal. Por isso, especialistas aconselham a analisar a própria situação profissional e fazer um planejamento previdenciário, antes de se aposentar.

Pedido pode ser online ou por telefone

O pedido de aposentadoria, assim como outros benefícios do INSS, pode ser feito online, pelo Meu INSS, ou por telefone. O sistema está passando por adequações, por causa das mudanças das regras após a reforma da Previdência, mas ainda é possível dar entrada nos pedidos, segundo o instituto.

Mesmo assim, há registro de pessoas que não estão conseguindo fazer nem o pedido. Nesses casos, a recomendação dos advogados é ir a uma agência para tentar resolver o problema.

Governo chamará militares para diminuir fila

Segundo o governo, a fila é uma herança de 2018, quando o INSS intensificou o processo de digitalização. Ficou mais fácil pedir os benefícios, mas o ritmo das análises não acelerou na mesma proporção.

Com a reforma aprovada, a nova Previdência começou a valer em 13 de novembro do ano passado. Mas os sistemas do INSS não foram atualizados a tempo. Assim, todos os pedidos feitos desde então com base nas novas regras estão parados, sem previsão de quando terão andamento.

A principal medida anunciada pelo governo para reduzir o tempo de espera foi o reforço no atendimento com militares da reserva. A promessa é contratar de 7.000 militares, que receberão adicional de 30%.

Segundo o INSS, a Secretaria de Previdência e a Dataprev (empresa pública responsável pela atualização do sistema) estão em uma força-tarefa para resolver o problema.

De acordo com uma nota técnica da Secretaria de Previdência, havia quase 1,9 milhão de pedidos acumulados em 1ª de janeiro de 2019.Com o avanço da reforma da Previdência no Congresso ao longo de 2019, o número de pedidos de aposentadoria aumentou. O pico de requerimentos acumulados foi de 2.561.679 em julho.